o que nem sempre é dito, mas deveria ser

Infelizmente, verifico que o assunto mais importante para a vida de todos nós passa quase despercebido em meio a uma série de acontecimentos que, nos últimos dias, chamaram mais atenção. Trata-se da decisão vergonhosa do Superior Tribunal de Justiça (STJ), de considerar que um adulto não comete estupro contra meninas de 12 anos caso elas sejam “prostitutas”.

Há várias questões envolvidas nisso e talvez a minha indignação atente contra a objetividade que a análise de um fato tão escandaloso merece. De início, há o velho vício de culpar a vítima. Ou seja, se é prostituta, vale tudo. A continuar essa argumentação, logo vamos responsabilizar as crianças por ataques de pedófilos, esses “pobres inocentes”, por algum motivo estaparfúdio qualquer. Elas seriam culpadas, por exemplo, de estarem passando na rua no momento em que um pedófilo estava por perto e, por isso, atraissem a sua atenção.

Mas acho que o problema maior aí é a questão de como a sexualidade é tratada na sociedade brasileira. Vemos diariamente programas de TV em que as crianças são estimuladas a exibir comportamentos sexualizados como se fossem bricandeira. É o caso de aberrações como a dança da garrafa. Muitas empresas, inclusive, lucram com isso, lançando produtos como maquiagem infantil.

Enfim, para a sociedade brasileira, sexo é algo que deve ser sempre estimulado. E também sexo representa poder. Mulheres atraentes são consideradas poderosas e é isso o que entra na cabeça das crianças (mesmo em programas infantis, onde até as roupas de paquitas e congêneres são insinuantes). Outro ponto que é supervalorizado é o dinheiro, um dos principais focos de nossa indústria cultural – representada por novelas, minisséries, músicas e tudo o mais que representa uma visão de mundo e é consumido em massa, o que significa que é onde as crenças do povo brasileiro se cristalizam.

Essa produção cultural – que se sofisticou, mas nem sempre sua qualidade é indiscutível – costuma martelar na cabeça de cada brasileiro (e as crianças, logicamente, são mais vulneráveis a isso) que o dinheiro é a coisa mais importante da vida, que o dinheiro é tão desejável a ponto de ser o caminho natural fazer-se qualquer coisa por ele…

Não é muito difícil ver como isso estimula a prostituição infantil, de crianças que brincam que são adultas e estão se dando bem na vida. Muitas vezes, meninas começam a fazer programas sem o conhecimento dos pais (e há algumas que são até estimuladas por genitores, que querem explora-las).

Mas criança alguma tem maturidade para entender o que significa essa opção, e muito menos condições para arcar sozinha com as consequências. Os riscos, que podem inclusive estragar todo o futuro dela, são muitos – incluem inúmeras possibilidades, como gravidez, doenças venéreas, violência desmesurada (tanto física quanto emocional)…

O que o STJ fez foi dizer que uma criança de 12 anos tem condições de avaliar decisões que vão influir em toda a sua vida com a capacidade que muitos adultos sequer têm. Trata-se de uma aberração, pois o Judiciário existe justamente para proteger os mais fracos e manter o equilíbrio da vida em sociedade. Ao tomar a decisão de defender um adulto (que certamente sabia que buscava sexo com uma criança) em detrimento da parte mais fraca, o Judiciário parece ter se desviado do caminho correto.

Ainda não sei bem como, mas proponho que a sociedade civil se mobilize para tentar reverter essa decisão no Supremo Tribunal Federal (STF). Vamos fazer passeatas, manifestos e tudo o que for necessário para apoiar a ação da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, que convocou o Advogado-Geral da União e o Procurador-Geral da República para tomar as medidas judiciais contra a infeliz decisão do STJ.

Anúncios

Comentários em: "Vamos culpar crianças por ataques de pedófilos?" (2)

  1. Quem primeiro culpar? Falta de consciência dos pais, a violência simbólica das mídias ou o judiciário imoral? Maldita ética da sociedade brasileira, naturalidade aos injustos, corruptos e um pouco de fogueira às depravadas.

  2. EXATAMENTE COMO COMENTOU O COLEGA INTERNAUTA HUGO! TODO ACONTECIMENTO, INCLUSIVE DESASTRE DE AVIÃO, OBEDECE A UMA SEQUÊNCIA DE ERROS . JUSTAMENTE O CASO EM TELA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: