o que nem sempre é dito, mas deveria ser

Hoje encontrei na web um dos vídeos mais chocantes que já vi em minha vida: o da policial sendo desnudada por colegas homens a pretexto da necessidade de uma revista. Várias coisas chocam nesse episódio: o desrespeito ao direito de ela ser revistada por mulheres, como ela mesma insistiu; o fato de ela ficar exposta a intimidação constante por mais de dez minutos antes que eles a agarrassem e tirassem sua roupa a força; a possibilidade (grande) de o flagrante ter sido forjado, uma vez que o exato momento em que o tal dinheiro teria aparecido ter sido encoberto por alguém na frente da câmara… A grande conclusão é que a polícia paulista é tão (ou até mais) criminosa quanto os bandidos que deveria combater.

Quanto ao fato em si, há duas possibilidades: ou a escrivã realmente recebeu propina ou forjaram um flagrante (coisa que frequentemente a polícia paulista é acusada de fazer). Admitindo como verdadeira a primeira hipótese, nada justifica que ela não fosse revistada por mulheres, inclusive até porque havia mulheres no recinto – e não se justifica que ela fosse filmada nessa condição humilhante. A segunda hipótese ganha corpo com a recusa do delegado em fazer a revista por mulheres, uma vez que uma farsa poderia ter sido combinada previamente com seus homens de confiança. Todos sabem que qualquer coisa banal pode ser motivo para uma pessoa sem caráter querer prejudicar outra (o delegado pode ter sido rejeitado pela escrivã em uma cantada, pode ser que ele apenas quis “mostrar serviço”, pode ser uma forma de desviar a atenção de outras coisas…).

Mas ainda há várias perguntas que não querem calar nesse episódio: Será que os caras filmaram o episódio porque se achavam tão acima da lei? Por que isso não foi veiculado antes? Por que a escrivã foi demitida, antes de sentença transitada em julgado, e os seus algozes nada sofreram? Por que a corregedoria não tomou providências (ao que me parece, há um corregedor no recinto da filmagem)?

Infelizmente, os fatos chocantes não se encerram no vídeo. Nos sites onde o encontrei (no youtube e no do jornalismo da Rede Bandeirantes), li vários comentários depreciativos à pobre escrivã, mesmo quando todos sabem que a polícia paulista não é confiável para proteger os cidadãos (só para bater em professores ou em estudantes). Coisas do tipo: “vagabunda, tem de pagar pelo que fez” ou ainda piores. Duvido que houvesse comentários assim se fosse um homem.

De qualquer modo, esse vídeo é um retrato do (des)governo tucano de São Paulo.

Anúncios

Comentários em: "A polícia de São Paulo, nua e crua" (3)

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Silvia Kochen, Silvia Kochen. Silvia Kochen said: A polícia de São Paulo, nua e crua http://wp.me/p176Bk-6e […]

  2. Cleuza disse:

    Morro de nojo, vergonha e ódio dessa polícia que mesmo quando se propõem a fazer seu trabalho, não o conseguem fazer sem criar constrangimento, de usurpar a lei e direitos mínimos assegurados pela lei.
    Cadê a corregedoria. Agora quero saber também o porquê da necessidade desse policial filmar a ação e tornar público. Babaca, idiota, cretino, vá aprender a ser um ser humano melhor. Valentão.
    Tenho nojo desses policiais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: