o que nem sempre é dito, mas deveria ser

Era uma vez um reino distante, onde reinava um rei muito babaca. Um belo dia, ele decidiu que o bobo da corte deveria fazer o trabalho de arauto na pequena vila que ficava dentro de seu castelo. A partir daí, o rei decidia tudo o que o arauto deveria anunciar.

Teve uma vez em que ele foi caçar, mas não conseguiu nada e voltou todo enlameado como um porco. Mas mandou o arauto anunciar que o rei tinha feito a melhor caçada de sua vida. Outro dia, o rei convidou a princesa do reino vizinho para jantar, e como pretendia costurar uma aliança com o outro rei, mandou o arauto dizer que ela era a mais bela princesa que há sobre a face da terra.

Os súditos se aglomeraram na entrada do castelo, ansiosos para admirar tal beldade, mas quando chegou ela vestia uma capa com capuz que não permitia que lhe vissem o rosto. Dois engraçadinhos estavam resolvidos a ver a formosa a qualquer custo e simularam um tropeço para pisar na capa da princesa. O capuz caiu e todos viram que ela era, na verdade, uma mulher madura já e com o rosto cheio de cicatrizes.

Desde esse dia, os súditos deixaram de acreditar no arauto. Mas os engraçadinhos que tiraram o capuz da princesa não eram nada bobos e juntaram um grupo de amigos para observar melhor o que acontecia com o rei. Descobriram que sempre que ele voltava da caçada de mãos vazias, mandava o arauto anunciar uma bela caça. Alguns começaram a seguir o rei quando ele saia para visitar um reino amigo, e descobriram que ele ia se encontrar com uma amante numa cabana da floresta.

Certa vez, o rei disse que ia combater um outro rei que estava atacando súditos seus nos campos e saiu com uma pequena tropa. Os aldeões o seguiram e descobriram que o rei levava um pequeno tesouro e o ofereceu para o rei inimigo com a condição de que ele não atacasse seu castelo. Ao voltar, o arauto anunciou que, depois de uma ferrenha batalha, o rei tinha vencido o inimigo.

“Nosso valente rei, com sua armadura de ouro, conteve o ataque do inimigo hoje em nossos campos.”, bradou um dos engraçadinhos. “Pena que nisso tenha perdido a armadura”, anunciou o outro. A multidão gargalhou sonoramente. A partir daquele dia, os dois engraçadinhos passaram a adotar a alcunha de bobos da corte e sempre que o arauto anunciava alguma mentira sobre o rei, eles ridicularizava o anúncio.

Os falsos bobos (porque eles eram é muito inteligentes e espirituosos) irritaram profundamente o rei e, depois de uma semana, o soberano resolveu condená-los à morte. Você acha que o rei estava certo?

Bom, essa história foi inspirada em uma história real. Os nomes dos engraçadinhos são Lino Ito Bocchini e Mario Ito Bocchini.

 

Anúncios

Comentários em: "O reino da Falha" (3)

  1. Muito bem sacado , adorei !

  2. Muito bom, Silvia !!! Qualquer semelhança é apenas mera conicidência. rsrsrsrs
    Abs.
    @jaer51 #Teialivre

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Decio Murtinho. Decio Murtinho said: RT @AldoNunes_13: O reino da Falha: http://t.co/wdXxtzJ […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: