o que nem sempre é dito, mas deveria ser

Uma coisa que ficou profundamente marcada na minha vida foi a temporada em que morei em Londres, no final dos anos 70. Logo ao chegar, fiquei sabendo que havia lá um lugar onde qualquer pessoa poderia falar o que quisesse, inclusive criticar a rainha ou o governo: era o Speakers’ Corner, o cantinho dos oradores que fica no Hide Park, um imenso parque na área central de Londres. Para mim, que vinha de uma ditadura, aquilo me pareceu uma coisa inconcebível e no meu primeiro domingo livre, fui lá conhecer esse outro mundo.

Ao chegar no Speakers’ Corner, um anarquista estava falando. E sua fala me marcou tanto que me recordo até hoje:

“Na União Soviética, não deixam as pessoas dizerem o que querem. Quem fala é mandado para a Sibéria ou para algum manicômio. Aqui, deixam você falar o que quiser, mas botam você no Speakers’ Corner para que ninguém preste atenção no que você diz.”

Hoje, quando vejo o rebuliço que uma afirmação idiota qualquer causa por aqui, lembro-me do anarquista do Speakers’ Corner. Nos últimos dias, vários twits causaram indignação coletiva e movimentos para denunciar os perfis de seus responsáveis por racismo. Não creio que eles estejam certos, mas me pergunto se vale a pena tanto barulho. Aliás, acho que esse rebuliço é o que amplifica as bobagens que eles dizem e cria um terreno fértil para que essas asneiras se multipliquem.

Nos últimos tempos, os brasileiros começaram a ter consciência de seus direitos e a exigir respeito, o que está certo. Mas muitas vezes, creio que a coisa fica caricata. Qualquer coisa que se diga, às vezes pelo calor do momento, pode ser levada a sério demais, e à Justiça.

Um xingamento qualquer durante um jogo de futebol, coisa perfeitamente normal, acaba indo parar na delegacia, por exemplo. Uma frase ao acaso em meio a uma discussão entre conhecidos acaba sendo interpretada como racista.

Sinto-me em uma outra ditadura, não a do Estado, mas a das mentes estreitas (inglês tem esse termo fantástico: narrow minded, para expressar gente que tem o pensamento pequeno e tacanho!). As pessoas deixam de tentar resolver a questão entre si, deixam de conversar e, no lugar, chamam a polícia para intimidar o oponente. O resultado é que isso impede o diálogo.

Como poderemos criar um mundo melhor sem diálogo?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: